Prolongada a autorização da execução das atividades dos programas de aprendizagem profissional à distância

Com vigência em 1° de julho de 2021, a Portaria SEPEC/ME n° 4.089/2021 surge com o intuito de estender, até 31 de dezembro de 2021, as medidas para realização de atividades práticas e teóricas de aprendizagem profissional à distância.
Maria Eduarda 1x1 1

Maria Eduarda Ferreira

Trainee jurídica

Ruy-Barbosa

Ruy Barbosa Junior

Head da área de direito do trabalho

Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Da equipe de Direito do Trabalho do Vernalha Pereira

Com a pandemia, o mundo teve que readequar as suas atividades, em especial no âmbito trabalhista. Pensando nesse cenário, em 1° de dezembro de 2020, foi instaurada a Portaria SEPEC/ME nº 24.471, com o intuito de dispor sobre a autorização da execução das atividades teóricas e práticas dos programas de aprendizagem profissional à distância.

Entretanto, apesar de necessária e condizente com a situação de emergência sanitária, a Portaria informa que essa autorização perduraria até 30 de junho de 2021. Para suprir a necessidade de continuidade do sistema à distância, foi publicada, em 22 de junho de 2021, a Portaria SEPEC/ME n° 4.089.

A Portaria entrará em vigor a partir de 1° de julho de 2021. Com sua instauração, foi renovada toda a legislação que autoriza às práticas dos programas de aprendizagem profissional a distância, com validade até 31 de dezembro de 2021.

Vale lembrar que a autorização é válida, desde que preenchidos os termos do art. 428, da CLT. Além disso, para que a atividade à distância seja reconhecida, é necessário que se enquadre na definição prevista na portaria, qual seja “as atividades desenvolvidas por mediação de tecnologia de informação e comunicação”.

Deve também relacionar diretamente a atividade de aprendizagem com a ocupação prevista em contrato de aprendizagem profissional e com o programa de aprendizagem aprovado pela Secretaria de Políticas Públicas de Emprego. Caso ocorra de forma diferente, poderá ser considerado inválido.

Por fim, é necessário que seja garantido ao aprendiz acesso aos equipamentos tecnológicos e referentes à infraestrutura necessária e adequada para a correta execução das atividades, sejam elas práticas ou teóricas.

Pensando nessa e em outras atualizações legislativas, o departamento Trabalhista do Vernalha Pereira, que já atende importante instituição que acompanha e direciona aprendizes, permanecerá à disposição para sanar eventuais dúvidas que possam surgir sobre esse e outros temas importantes.

A área de Direito do Trabalho permanece à disposição para esclarecer sobre este e outros temas de interesse de seus clientes e parceiros institucionais.

Preencha o formulário e receba outros conteúdos exclusivos sobre o tema

Prometemos preservar seus dados e não utilizar suas informações para enviar spam.
Consulte a nossa Política de Privacidade e saiba mais.

Leia também

Assista aos vídeos