A Lei da Liberdade e os Fundos de Investimentos

Guilherme-Fumagalli-Guerra

Guilherme Guerra

Head da área de mercado de capitais

Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

[vc_row][vc_column][vc_empty_space height=”18px”][/vc_column][/vc_row][vc_row bg_type=”bg_color” bg_color_value=”#f7f7f7″][vc_column][vc_empty_space height=”18px”][vc_column_text]

Ao estabelecer novos limites legais para os fundos de investimentos e definições mais claras de responsabilidades dos agentes, a Lei da Liberdade Econômica fortalece o mercado de capitais no Brasil.

[/vc_column_text][vc_empty_space height=”18px”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_empty_space height=”36px”][vc_column_text]

Não obstante o mercado de fundos de investi- mento tenha assumido nos últimos anos uma alta relevância no cotidiano da economia, no Brasil, ainda não havia uma lei geral regulamentando estes veículos (com exceção à lei dos FII – Fundos Imobiliários – Lei 8.668/93). Até a edição da Lei, a regulamentação dos fundos era desenvolvida pelas instruções e normas editadas pela CVM. Apesar do poder normativo concedido à autarquia, tais normas não possuem força de lei.

Uma das inovações trazidas pela Lei da Liberdade foi a inclusão de um capítulo especial na Parte Especial do Código Civil para tratar exclusivamente de fundos de investimento (arts. 1.368-C a 1.368-E). O novo Capítulo X do Livro III da Parte especial do CC qualificou os fundos de investimentos, no ordenamento jurídico, definindo-os como “uma comunhão de recursos, constituídos sob a forma de condomínio, destinados à aplicação em ativos financeiros”. Nos termos da lei, a competência para regulamentação das normas envolvendo fundos de investimento continuará sendo da CVM, a qual deverá implementar as novas regras.

A despeito de a lei se referir a ativos financeiros no seu texto, não nos parece que as novas regras estejam restritas ao art. 2º da ICVM 555, mas àqueles e aos demais incluindo os fundos ICVM 555 e os fundos estruturados.

Dois pontos ganharam destaque atendendo a uma demanda antiga por parte do mercado: as limitações de responsabilidades em relação aos cotistas e o fim da responsabilidade solidária obrigatória em relação aos prestadores de serviços dos fundos. Nos termos do art. 1368-D, o regulamento poderá, a partir de agora, dispor acerca da limitação das responsabilidades de cada condômino dos fundos (cotistas) e dos prestadores de serviços.

O inciso I do art. 1.368-D. do CC permitiu a limitação da responsabilidade de cada cotista, ou seja, que cada condômino fique responsável até o limite do valor das suas cotas. Nos casos extremos em que os fundos fiquem com patrimônio negativo, esta limitação de responsabilidade permite que os cotistas não mais sejam obrigados a responder por estes cenários negativos, tendo que aportar mais recursos nos fundos com eventual PL negativo.

O inciso II do mesmo artigo trouxe uma novidade há muito demandada pelo mercado de fundos no Brasil: o fim da responsabilidade solidária entre os presta- dores de serviços dos fundos de investimento, ou seja, 60 do administrador fiduciário, do gestor e do custodiante, desde que restritos aos fatos posteriores à publicação da lei. Esta delimitação de responsabilidades entre os agentes de fundos de investimentos é uma demanda antiga do mercado financeiro e de capitais no Brasil. Na prática, ao acabar com esta responsabilidade solidária, a lei permite que as ações de enforcements do mercado financeiro e de capitais sejam devidamente restritas às atividades e responsabilidades de cada agente, ou seja, ao administrador, aos gesto- res e aos custodiantes caberão apenas – às suas esferas de atuação – as possíveis sanções aplicadas pelo regulador.

O cenário até então vigente do mercado apontava para uma concentração entre as grandes instituições para as atividades de administração e gestão de fundos. Como a maioria dos administradores de fundos são instituições financeiras de médio e grande porte, havia uma tendência para a restrição da atuação de gestoras de menor porte devido às ressalvas quanto ao compartilhamento de responsabilidades. No modelo onde as responsabilidades são solidárias e compartilhadas entre gestores, administradores e custodiantes, qualquer movimento por parte de um destes agentes poderia ser excessivamente restringido por meio de uma atuação preventiva do outro.

O modelo anterior de responsabilidade solidária contribuía para que as instituições financeiras criassem excessivos entraves para a administração fiduciária de fundos geridos por gestoras independentes, restringindo, desta forma, o mercado como um todo. No nosso entendimento, esta delimitação das responsabilidades restrita à esfera de atuação de cada presta- dor de serviço irá permitir que os administradores fiduciários revejam as suas matrizes de risco no sentido de abrir as portas para as gestoras de menor porte.

[/vc_column_text][vc_empty_space height=”36px”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][dt_fancy_separator separator_color=”custom” custom_separator_color=”#c4c4c4″][vc_empty_space height=”9px”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”2/3″][ultimate_spacer height=”70″ height_on_tabs=”32″ height_on_tabs_portrait=”0″ height_on_mob_landscape=”16″ height_on_mob=”0″][vc_column_text]

Este artigo faz parte do e-book “Lei da Liberdade Econômica: oportunidades e novidades”

[/vc_column_text][vc_empty_space height=”9px”][vc_column_text]

Clique no botão e baixe o material produzido pelo VGP sobre o tema:

[/vc_column_text][vc_empty_space height=”18px”][vc_btn title=”DOWNLOAD” color=”warning” i_icon_fontawesome=”fa fa-download” link=”url:https%3A%2F%2Fwww.vgplaw.com.br%2Fguias-juridicos%2F||” add_icon=”true”][vc_empty_space height=”18px”][/vc_column][vc_column width=”1/3″][vc_single_image image=”9257″ img_size=”medium” onclick=”custom_link” link=”https://www.vgplaw.com.br/guias-juridicos/”][vc_empty_space height=”18px”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][dt_fancy_separator separator_color=”custom” custom_separator_color=”#c4c4c4″][vc_empty_space height=”36px”][/vc_column][/vc_row]

Preencha o formulário e receba outros conteúdos exclusivos sobre o tema

Prometemos preservar seus dados e não utilizar suas informações para enviar spam.
Consulte a nossa Política de Privacidade.

Leia também

Assista aos vídeos