Na Rádio Justiça, Luiz Fernando Casagrande Pereira fala sobre o funcionamento do Judiciário em tempos de pandemia

Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Após várias restrições que foram impostas ao Judiciário brasileiro pela pandemia da Covid-19, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) anunciou nesta semana algumas novidades. A instituição autorizou a retomada de atividades presenciais a partir do dia 15 de junho de 2020. O Conselho também publicou a resolução nº 322, de 1º de junho de 2020, que autoriza a volta dos prazos para os processos físicos, que estavam suspensos durante este período de prevenções contra o coronavírus.

Na manhã desta quarta-feira (03/06), Luiz Fernando Casagrande Pereira, sócio-fundador do Vernalha Pereira, participou de uma entrevista na Rádio Justiça para comentar o tema. Doutor e Mestre em direito processual civil, Pereira falou sobre o funcionamento do Judiciário em tempos de pandemia.

Para o advogado, o judiciário brasileiro se mostrou mais preparado do que outros sistemas judiciários mundo afora, em razão do número de processos eletrônicos no Brasil. Nós sofremos, mas sofremos menos do que sofreram outros países. No Paraná e em São Paulo, onde atuamos, os processos eletrônicos já são majoritários”, comentou Pereira.

Sobre a retomada das atividades, o sócio do escritório comentou: “Este novo movimento do CNJ sobe um degrau na volta ao novo normal do Judiciário brasileiro”. Pereira ainda ressaltou a importância do Judiciário e classificou a atividade como essencial para o funcionamento do país.

Ouça a entrevista completa no player abaixo:

Preencha o formulário e receba outros conteúdos exclusivos sobre o tema

Prometemos preservar seus dados e não utilizar suas informações para enviar spam.
Consulte a nossa Política de Privacidade e saiba mais.

Leia também

Assista aos vídeos