Curitiba terá PPP de Iluminação Pública

O Município de Curitiba realizará audiência pública para apresentar o projeto de PPP na área da iluminação a investidores interessados
Thiago-Lima-Breus

Thiago Lima Breus

Head da área de direito administrativo

foto site ana

Ana Carolina Hohmann

Advogada da área de direito administrativo

Murilo-Cesar-Taborda-Ribas

Murilo Taborda Ribas

Advogado da área de direito administrativo

Ricardo-de-Paula-Feijó

Ricardo de Paula Feijó

Advogado da área de direito administrativo

Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Da equipe de Direito Administrativo do Vernalha Pereira

O Município de Curitiba divulgou a abertura de consulta pública e a realização de audiência, em 26 de janeiro, para receber contribuições e dúvidas sobre o seu projeto de PPP de iluminação, estruturado com auxílio do BNDES.

Por meio da parceria, o Município de Curitiba pretende delegar a prestação dos serviços de iluminação a um parceiro privado, que deverá promover a operação, a expansão, a modernização e a eficientização da rede municipal. O objetivo principal do projeto é ampliar a utilização de luminárias de LED em todo o parque, que soma cerca de 163 mil pontos de iluminação.

Entre as suas principais características, o projeto estabelece que a referida parceria terá 23 (vinte e três) anos de duração, em um valor total estimado em R$ 927.031.806,99 (novecentos e vinte e sete milhões, trinta e um mil, oitocentos e seis reais e noventa e nove centavos), correspondente à soma dos valores limites de contraprestação mensal máxima indicado no edital de licitação.

O edital divulgado permite ampla participação de empresas no certame, nacionais ou estrangeiras, individualmente ou em consórcio. No entanto, vale ressaltar as exigências impostas aos interessados a título de qualificação técnico-operacional: os licitantes deverão comprovar prévia experiência no aporte de investimentos de, no mínimo, R$ 166.044.732,94 (cento e sessenta e seis milhões, quarenta e quatro mil, setecentos e trinta e dois mil e noventa e quatro centavos), em empreendimento de qualquer setor de infraestrutura; e a execução de serviços de operação e manutenção preventiva e corretiva de, no mínimo, 81.577 (oitenta e um mil, quinhentos e setenta e sete) em um mesmo parque de iluminação pública.

Um dos grandes atrativos do projeto está no sistema de remuneração da futura concessionária, estruturado sob as seguintes premissas:

  • Instituição de uma conta vinculada e de uma conta reserva administradas por um agente depositário independente para gestão dos recursos destinados à remuneração da concessionária;
  • Destinação automática dos valores de contribuição para o custeio de iluminação pública – COSIP arrecadados na fatura de consumo de energia elétrica para a conta vinculada e para a conta reserva;
  • Presença de um Verificador Independente, responsável por aferir o desempenho da concessionária na prestação dos serviços e informar à instituição financeira depositária os valores que serão devidos mensalmente.

A sistemática de remuneração, estruturada sob as premissas indicadas, gera segurança aos investidores da PPP, na medida em que assegura uma fonte de remuneração líquida, estável e já existente.

Desse modo, a expectativa é a de que a parceria público-privada traga economia aos cofres públicos, facilite a valorização de pontos históricos e turísticos da cidade, e torne o sistema de iluminação pública de Curitiba mais moderno e eficiente. Assim, com a geração de benefícios a todos os envolvidos direta e indiretamente, o projeto se mostra como uma alternativa atrativa para a realização de investimentos.

A área de Direito Administrativo, que possui ampla experiência em parcerias público-privadas de iluminação pública em favor de agentes públicos e privados, como a atuação em favor do consórcio vencedor da PPP de Porto Alegre (RS) e a estruturação da PPP de Guarapuava (PR), acompanhará a realização da audiência pública e permanece à disposição para esclarecer sobre este e outros temas.

Leia também

Assista aos vídeos